25/02/2011

Nocturnos (5)

*






Converso comigo mesma. 
Não falo sozinha. Converso.
Como não se encontra mais ninguém na sala, converso com o meu eu.
Também não há espelho. Há escuridão. 

E eu falo, e eu respondo...
Ah, 

há música. 
Hoje, agora,  (Juliette Greco ).
Afinal, não converso só comigo mesma.
Converso com a memória das sensações.
Eis a magia da música que fala de nós, do que fomos e vivemos.
Estão vivas, vivas, as emoções, nas vozes já mudas mas que renascem sempre que as ouvimos.
E a noite que me acordou para conversar comigo mesma, embala-me agora, docemente, nos abraços dos que viveram essas emoções comigo, mas já partiram.

Afinal sempre converso comigo mesma, com Juliette Greco e com a escuridão.
Lá fora, a noite não se vê, embrulhada em diáfano nevoeiro.

Já não converso.
Olho e relembro.



texto e foto de fernanda s.m.


4 comentários:

Anónimo disse...

Gosto sempre de tudo que escreve e desta conversa solitária.
Beijos Rosa

fernanda s. monteiro disse...

Obrigada, Rosa. Beijinhos pela sua visita.

andromeda disse...

Como sempre, belo!!!Como a entendo! Abraço

andromeda disse...

Como sempre, belo!!! Como a entendo! abraço