23/11/2010

Hoje - Herberto Helder

*




Se houvesse degraus na terra...

Se houvesse degraus na terra e tivesse anéis o céu,
eu subiria os degraus e aos anéis me prenderia.
No céu podia tecer uma nuvem toda negra.
E que nevasse, e chovesse, e houvesse luz nas montanhas,
e à porta do meu amor o ouro se acumulasse.


Beijei uma boca vermelha e a minha boca tingiu-se,
levei um lenço à boca e o lenço fez-se vermelho.
Fui lavá-lo na ribeira e a água tornou-se rubra,
e a fímbria do mar, e o meio do mar,
e vermelhas se volveram as asas da águia
que desceu para beber,
e metade do sol e a lua inteira se tornaram vermelhas.


Maldito seja quem atirou uma maçã para o outro mundo.
Uma maçã, uma mantilha de ouro e uma espada de prata.
Correram os rapazes à procura da espada,
e as raparigas correram à procura da mantilha,
e correram, correram as crianças à procura da maçã.

Herberto Helder

foto: fernanda s.m.

4 comentários:

estrelas e galáxias disse...

de uma excelsa Beleza,Amiga.

Um beijinho,

maria azenha

Helena disse...

Nani:

Esive a dar uma volta no mate-barco e na estrela da madrugada e, na verdade, fiquei maravilhada com as tuas fotos; são de uma profissional!Parabéns priminha...
Os poemas que escolhes são fabulosos; os teus blogues estão claramente fantásticos e absolutamente invulgares e originais!
Agora já percebi a tua técnica para publicar os comentários... finalmente tive paciência de andar de um lado para o outro!
Parabéns pelo teu perfeccionismo.

Beijinho da prima lenita




Beijinhos da prima lenita

fernanda s.m. disse...

Maria Azenha, um grande abraço de simpatia.

fernanda s.m. disse...

Olá, Lenita, fico contente com a tua visita e agradeço as tuas palavras.
Muitos beijinhos.