20/04/2008

As Mãos.




as mãos
as mãos todas
as mãos de toda a gente
as mãos de todas as coisas -
as mãos das árvores e das nuvens
as mãos das pedras e das flores
as mãos dos pântanos e dos rios
as mãos da terra e do mar;
as mãos todas agarradas,
tudo e toda a gente de mãos dadas,
a lançar a semente da seara futura -

e as mãos do vento a escrever ternura no ar !

Poema de António Simões, 1966
foto de fernanda s.m.

3 comentários:

eli disse...

parafraseando um outro poeta

com as mãos se fez este extraordinariamente belo post!

Bem haja, Fernanda. Pelo poema, que não conhecia. Pela foto, que contemplo faz um tempão.

Bj-e

fernanda s.m. disse...

Eli, o poema é de António Simões, nosso colega e poeta com muitas e belas coisas escritas. Não tenho o gosto de o conhecer pessoalmente, mas é grande amigo e colega do nosso amigo Augusto Mota e, por intermédio deste, me chegaram vários poemas. Tem vários livros publicados e, por mail, posso indicar-lhos.
A foto é um trabalho que experimentei com umas folhas de plátanos de ... Lisboa. Obrigada pela sua visita.
Beijos.

eli disse...

Agradeço a indicação, sim. Gostaria de conhecer mais de António Simões.

Belíssimo fii:)iim-de-semana, Fernanda. Depois,
vai dar-nos o privilégio de aqui colocar algumas das suas belíssimas fotos, não vai?

Bj-e