01/02/2009

Agradecendo

*


O prémio « Fractais da Palavra » que a Maria Toscano concedeu à
« estrela-da-madrugada»
e que agradeço com humildade e gratidão.

Um abraço amigo.
*


De Maria Toscano:

(...)

vasta planície onde o olival é pavio
varejado pavio de candeias
fruto
em pratos e broas
e na almotolia
se a fome não vier

(..)
águas ribeiras línguas revoltas
desaguando saciadas,sempre
na calma.


este é o mar
guardador da letra da revolta
lavrador da sílaba fêmea
o amante da casa materna.


este. imensíssimo. ancestral
embalo do olhar onde se planta a calma


mãe das almas rubras

.

..
este. é. o mar


3 comentários:

gabriela rocha martins disse...

um prémio merecidíssimo acompanhado de um belíssimo poema

.
um beijo

Adriana disse...

"onde se palanta a calma", adorei essa frase.Parabéns pelo poema!

isabel mendes ferreira disse...

mais que merecido.




(obrigada....)



beijo.